Esther.jpg
Line separator

GATOS
DE VIDA LIVRE

O que fazer se houver colônias de gatos de vida livre em seu condomínio ou empresa?  Recomendamos cautela na contratação de empresas não especializadas, sob risco de incorrer em crime de maus tratos. Fale conosco, nós podemos ajudar!

O PROBLEMA


A SOLUÇÃO

 

Gatos de vida livre em terreno de propriedade das empresas ou condomínios, sem controle populacional e monitoramento, podem gerar questões de saúde pública e causar incômodo e discórdia entre os funcionários e moradores. Nossa ONG é pioneira na implementação da técnica de C.E.D. - Captura, Esterilização e Devlução de animais de vida livre, atuando nesse tipo de manejo ético desde 2007.

1. Levantamento

O primeiro passo é entender a dimensão e escopo do problema. Durante o levantamento identificaremos a quantidade de animais, a quantidade e localização das colônias, as características do local e o histórico de interações com eventuais cuidadores.

2. Relatório técnico

Com base no levantamento, será elaborado relatório técnico com plano de ação detalhado para controle da situação a longo prazo - incluindo recomendações de adequações do local para evitar a ocorrência do "efeito vácuo", em que novos animais passam a ocupar o lugar dos que foram removidos.

3. Execução 

Uma vez determinado o curso de ação, daremos início à implementação das ações sugeridas. Tendo em mãos um mapa do local, iniciamos as capturas.

 

Nossa equipe é liderada por profissional qualificado, com mais de 30 anos de experiência no controle populacional ético de felinos de vida livre. Utilizamos equipamentos apropriados para gatos, tendo sempre como principal preocupação o bem estar e a saúde dos animais.

 

Após capturados, os animais são transferidos para caixas de transporte individuais, que permanecem cobertas até o término da ação. Os animais são então encaminhados à clínica veterinária, onde passarão por avaliação e procedimentos clínicos e cirúrgicos.

 

Animais de temperamento arisco, com sinais de pouco contato humano, deverão ser retornados ao local, onde seguirão como gatos de vida livre - agora castrados, microchipados e com a marcação internacional que identifica que este indivíduo não deve ser mais capturado (corte da ponta da orelha esquerda).

 

Os animais dóceis, além de passarem pelos mesmos procedimentos, passarão também por exame de sangue para detecção da presença das duas principais enfermidades crônicas que acometem os gatos: a AIDS felina e a Leucemia felina. Esses indivíduos serão então admitidos em nossa ONG e passarão a ser divulgados para adoção em lares responsáveis.

4. Monitoramento

São necessárias visitas periódicas para monitoramento da colônia, a fim de identificar a presença de novos abandonos e planejar novas intervenções pontuais.

É POSSÍVEL COEXISTIR.
SOLICITE UMA PROPOSTA
.

Empresas já atendidas